Doenças do Tecido Conjuntivo

Analitos Individuais 1

Marcadores mais comuns para Lúpus Eritematoso Disseminado (LED), Doenças Mistas do Tecido Conjuntivo (DMTC), Síndrome de Sjögren (SS)

dsDNA | U1RNPSm  | SS-A/Ro | SS-B/La | Rib-P | Mi-2  | Fibrilarina  

 

dsDNA

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

Varelisa dsDNA Antibodies 141 96 96 testes
EliA dsDNA 14-5500-01 4x12 testes

Material Promocional

Pasta do Produto
EliA dsDNA (pdf)

Antigénios

O ácido desoxirribonucleico (ADN), como antigénio, pode ser bicatenário (dsDNA) ou monocatenário (ssDNA), mas apenas os anticorpos dsDNA são marcadores específicos. Para os ensaios de anti-DNA, usa-se o ADN de tecidos, de células eucarióticas, de bactérias ou de bacteriófagos. O ADN de plasmídeo circular é uma escolha muito adequada, porque o risco de incorporar monocatenários é muito baixo.

Nos ensaios Varelisa e EliA, o ADN é revestido como ADN bicatenário de plasmídeos recombinantes.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

Lúpus eritematoso disseminado (LED): dependendo do método utilizado e do estado de actividade dos doentes, a prevalência de anticorpos varia de menos de 30% a mais de 90%.  Os anticorpos anti-dsDNA enquadram-se nos critérios de diagnóstico de LED da ARA.

Informações sobre LED

A especificidade da doença varia substancialmente, consoante o método utilizado. Com métodos muito sensíveis, os anti-dsDNA podem encontrar-se em doentes com uveíte, lúpus eritematoso discóide, artrite reumatóide, artrite reumatóide juvenil e, também, numa grande variedade de doentes. Nestes casos, trata-se maioritariamente de anticorpos do isótipo IgM de IgG com baixa avidez.  

Actividade da doença

Boa correlação entre o grau de anti-dsDNA e a actividade da doença, razão pela qual é importante para a monitorização, em especial com anticorpos IgG de alta avidez. Uma subida do grau de anticorpos pode constituir prenúncio de exacerbação da doença. Deve ser efectuada regularmente uma medição quantitativa de anti-dsDNA IgG nos doentes com LED.

Quando é que a medição é recomendada?

Suspeita de LED, monitorização de LED.

Isótipos de anticorpos

IgG. O IgM é determinado com frequência, mas tem um significado clínico reduzido para o diagnóstico e monitorização.

Métodos de detecção

Imunofluorescência indirecta em Crithidia luciliae (CLIFT), ensaios de rádio-ligação (principalmente ensaio de Farr) e ensaios de imunoabsorção enzimática (ELISA).

Referências bibliográficas

Hochberg MC (1997)  |  Bootsma H, Spronk PE, Ter Borg EJ et al. (1997)  |  Tzioufas AG, Tergoglou C, Stavropoulos ED et al. (1990)

Voltar ao início

 

 U1RNP

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

Varelisa RNP Antibodies 170 96 96 testes
Varelisa RNP-Sm Antibodies 165 96 96 testes
EliA U1RNP 14-5501-01 4x12 testes
EliA RNP70 14-5511-01 4x12 testes

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA ANA Differentiation (pdf)
Sm, U1RNP, RNP70, Ro, La, Scl-70, CENP, Jo-1

Antigénios

No seu estado natural, os pequenos RNA nucleares, também denominados U-RNA (de "uracil rich RNAs" [RNA ricos em uracilo]), existem como partículas de ribonucleoproteínas (snRNP). O snRNA U1 está presente como um complexo com as proteínas Sm, as quais também se encontram nos snRNPs U2, U4 e U5, e as proteínas específicas de U1 70 kDa, A (34 kDa) e C (22 kDa).

Os complexos snRNP U1 encontram-se principalmente no neoplasma e estão envolvidos no processo de excisão-reparação.

O ensaio Varelisa RNP Antibodies e os poços EliA U1RNP e RNP Wells usam proteínas snRNP U1 humanas recombinantes. O ensaio Varelisa RNP-Sm Antibodies contém o complexo purificado.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

  • O anti-RNP pode ocorrer em 30-40% dos doentes com lúpus eritematoso disseminado (LED). Os soros dos doentes com LED podem ser monovalentes para o anti-RNP, mas este anticorpo aparece geralmente em conjunto com outras especificidades de anticorpos. Os soros com anti-Sm positivo também têm quase sempre o anti-RNP positivo.
  • A doença mista do tecido conjuntivo (DMTC) é definida pela presença de um elevado grau de anti-RNP (especialmente anticorpos anti-70 kDa, mas também anti-A e C).
  • Os anticorpos anti-RNP U1 também podem ocorrer numa pequena percentagem de doentes com síndrome de Sjögren, artrite reumatóide, esclerodermia e polimiosite.

Actividade da doença

Os estudos longitudinais indicaram que os graus de anticorpos anti-U1 RNP variam ao longo do tempo, mas não é certo que estes níveis reflictam a actividade de uma doença subjacente.

Quando é que a medição é recomendada?

Suspeita de LED ou DMTC.

Isótipo de anticorpos

IgG

Outros métodos de detecção

Imunofluorescência indirecta em HEp-2 (padrão de manchas grossas). A técnica de imunofluorescência não permite fazer a distinção entre anticorpos anti-U1 snRNP e anti-Sm. Podem ser usadas outras técnicas (imunodifusão, immunoblotting, imunoprecipitação de RNA, etc.) mas não são necessariamente úteis para a rotina.

Referências bibliográficas

Van den Hoogen FHJ, Van de Putte LBA (1996)  |  Craft J, Hardin J (1992)  |  Peng SL, Craft JE (1996)

Voltar ao início

 

Sm

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

Varelisa Sm Antibodies 182 96 96 testes
EliA Sm 14-5502-01 4x12 testes

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA ANA Differentiation (pdf)
Sm, U1RNP, RNP70, Ro, La, Scl-70, CENP, Jo-1

Antigénios

No seu estado natural, os pequenos RNA nucleares, também denominados U-RNA (de "uracil rich RNAs" [RNA ricos em uracilo]), existem como partículas de ribonucleoproteínas (snRNP). Os U snRNP U1, U2, U4, U5 e U6 contêm todos um grupo de proteínas, denominadas peptídeos Sm, cujos principais alvos são os polipeptídeos B e D. Devido à reacção cruzada entre as proteínas A, C e B/B', até 60% dos soros com anti-U1 RNP podem reagir com B/B'. Por conseguinte, apenas a presença de anti-D e/ou a ausência de anti-A e anti-C podem ser consideradas características de soros com anti-Sm. Até ao presente, falharam todas as tentativas de produzir uma proteína SmD recombinante antigénica com boa reactividade, devido à sua estrutura muito especial. Em 2004, desenvolveu-se um ELISA que usa um peptídeo de SmD dimetilado, que demonstrou ter uma especificidade substancialmente maior que a dos ensaios tradicionais com SmD purificado.

O EliA Sm Well é revestido com um antigénio Sm purificado. O ensaio Varelisa Sm Antibodies é revestido com peptídeo SmD.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

Lúpus eritematoso disseminado (LED) (10-20% em doentes caucasianos com LED); os anticorpos Sm constituem um marcador de LED muito específico mas relativamente insensível. A sua presença é um dos critérios de diagnóstico revistos da ARA.

Informações sobre LED

Os soros com anti-Sm positivo também têm quase sempre o anti-RNP positivo.

A reactividade de anti-Sm não é descrita de forma inequívoca noutras doenças, embora alguns estudos descrevam anticorpos Sm em gamapatias monoclonais, esquizofrenia e uveíte.

Actividade da doença

Numerosos estudos sugerem que os anticorpos anti-Sm estão relacionados com a actividade da doença e com manifestações particulares da doença.

Quando é que a medição é recomendada?

Suspeita de LED.

Isótipo de anticorpos

IgG

Outros métodos de detecção

Imunofluorescência indirecta em HEp-2 (padrão de manchas de aspecto pontilhado no núcleo; por norma, só não têm manchas as regiões nucleolares). A técnica de imunofluorescência não permite fazer a distinção entre anticorpos anti-U1 snRNP e anti-Sm. Podem ser usados outros métodos (por exemplo, contra-imunoelectroforese, imunoprecipitação, immunoblotting), mas não são necessariamente úteis para a rotina.

Referências bibliográficas

Mahler M, Fritzler MJ, Blüthner M (2004)  |  Peng SL, Craft JE (1996)  |  Hoch SO (1994)  |  Craft J, Hardin J (1992)

Voltar ao início

 

SS-A/Ro

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

Varelisa SS-A/Ro Antibodies 166 96 96 testes
EliA Ro52 14-5598-01 2x12 testes
EliA Ro60 14-5525-01 4x12 testes
EliA Ro 14-5503-01 4x12 testes

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA ANA Differentiation (pdf)
Sm, U1RNP, RNP70, RO, La, Scl-70, CENP, Jo-1

Antigénios

A partícula de SS-A/Ro contém um hY RNA (human cytoplasmic RNA [RNA citoplásmico humano]) e proteínas associadas: uma proteína 60 kDa e outra 52 kDa. A proteína 52 kDa não está directamente ligada ao hY RNA, mas à proteína 60 kDa. A proteína 52 kDa parece estar, por vezes, associada à partícula de SS-A/Ro e outras vezes não. O antigénio Ro encontra-se no citoplasma, mas também no núcleo. O papel da partícula de SS-A/Ro na célula ainda não é conhecido.

Os nossos ensaios usam Ro 60 e Ro 52 humanos recombinantes.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

  • Síndrome de Sjögren primária (60-75%), parte dos critérios de diagnóstico.
  • Síndrome de Sjögren secundária (cerca de 80%).
  • Lúpus eritematoso disseminado, LED (40-50%).
  • Mães de crianças com síndrome de lúpus neonatal (100%), mas apenas uma em cada 50 crianças nascidas de mães com anti-Ro desenvolvem bloqueio cardíaco. 
  • Artrite reumatóide (2-10%).
  • Outras doenças auto-imunes (raramente, com métodos sensíveis).
  • Controlos normais (0,5%).

Os anti-Ro 52 kDa encontram-se frequentemente na síndrome de Sjögren, enquanto os anti-Ro 60 kDa se observam mais no LED.

Informações acerca da Síndrome de Sjögren

Actividade da doença

Os anti-Ro reflectem a extensão da doença na síndrome de Sjögren e estão associados, em particular, às manifestações extraglandulares e aos resultados serológicos da síndrome. Por outro lado, os níveis de anti-Ro não flutuam visivelmente com a actividade da doença ou com esteróides e/ou imunoterapia.

Nos doentes com LED, o perfil de anticorpos Ro60, Ro52 e La fixa-se numa fase inicial da doença e, na maior parte dos doentes, pouco ou nada muda.

Quando é que a medição é recomendada?

  • Suspeita de síndrome de Sjögren primária.
  • Afecção da pele compatível com lúpus eritematoso cutâneo subagudo.
  • Artrite reumatóide, antes da administração de D-penicilamina.
  • Mulheres com síndrome de Sjögren, LED ou artrite reumatóide antes e durante a gravidez.

Isótipo de anticorpos

IgG

Referências bibliográficas

Reichlin M, Scofield RH (1996)  |  Mavragani CP, Tzioufas AG, Moutsopoulos HM (2000)  |  Scofield RH, Farris AD, Horsfall AC, Harley JB (1999)

Voltar ao início

 

SS-B/La  

Produtos

Artigo N.º

N.º de testes

Varelisa SS-B/La Antibodies 166 96 96 testes
EliA La 14-5504-01 4x12 testes

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA ANA Differentiation (pdf)
Sm, U1RNP, RNP70, RO, La, Scl-70, CENP, Jo-1

Antigénios

O La/SS-B é uma fosfoproteína ubíqua com 47 kDa, que se associa a uma variedade de pequenos RNA, incluindo o hY RNA da partícula de SS-A/Ro. O La é provavelmente um factor de terminação de transcrição da RNA polimerase III e encontra-se no citoplasma e no núcleo.

Os nossos ensaios usam recombinante La humano.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

  • Síndrome de Sjögren primária (até 90%), critério de diagnóstico.
  • Síndrome de Sjögren secundária (cerca de 50%).
  • Lúpus eritematoso disseminado, LED (6-15%).
  • Lúpus eritematoso cutâneo subagudo (25-35%).
  • Mães de crianças com síndrome de lúpus neonatal (90%).

Informações acerca da Síndrome de Sjögren

Os anti-La estão quase sempre associados a anti-Ro e especialmente ao componente 52 kDa.

Actividade da doença

Não se sabe se o grau de anti-La está correlacionado com a actividade da doença na síndrome de Sjögren ou no LED. A detecção, per se, de precipitinas de anti-La é um resultado serológico estável, que não flutua durante a doença.

Quando é que a medição é recomendada?

  • Suspeita de síndrome de Sjögren primária.
  • Afecção da pele compatível com lúpus eritematoso cutâneo subagudo.
  • Artrite reumatóide, antes da administração de D-penicilamina.
  • Mulheres com síndrome de Sjögren, LED ou artrite reumatóide antes e durante a gravidez.

Isótipos de anticorpos

IgG

Referências bibliográficas

Keech CL, McCluskey J, Gordon TP (1996)  |  Mavragani CP, Tzioufas AG, Moutsopoulos HM (2000)  |  Scofield RH, Farris AD, Horsfall AC, Harley JB (1999)

Voltar ao início

 

Ribossomal P

Produto

Artigo N.º

N.º de testes

EliA Rib-P 14-5521-01 2 x 12 testes

Antigénio

O lúpus eritematoso disseminado (LED) é uma doença auto-imune que afecta vários órgãos e resulta em deficiência e mortalidade aumentada. Os anticorpos contra o ribossomal P (anti Rib-P) reagem contra proteínas ácidas de ribossomal fosforilado P0, P1 e P2 (com massa molecular de 38, 19 e 17 kDa, respectivamente) e encontram-se na subunidade S60 dos ribossomas. Os anti Rib-P podem ser detectados em aprox. 15% a 20% dos doentes com LED. Parecem ser muito específicos do LED, razão pela qual podem ser usados como marcador de diagnóstico da doença. Além disso, descreveu-se a sua relação com manifestações específicas do lúpus, em especial com afecções neuropsiquiátricas, renais e hepáticas. No entanto, os resultados relativos à existência dessas relações são controversos, variando consoante a configuração do estudo, a população alvo a ou sensibilidade dos testes usados para a detecção dos anti Rib-P.

Os EliA Rib-P Wells são revestidos com proteínas ribossomal-P (P0, P1, P2) humanas recombinantes.

Quando é que a medição é recomendada?

Suspeita de LED.

Isótipos de anticorpos

IgG

Métodos de detecção

EliA em instrumentos Phadia Laboratory

Referências bibliográficas

Kiss E, Shoenfeld Y.  |  Gerli L, Caponi L.  |  Mahler M et al.

Voltar ao início

 

Mi-2   NOVO!

Produto

Artigo N.º

N.º de testes

EliA Mi-2 14-5604-01 2 x 12 testes

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA Mi-2 (pdf)

Antigénio 

Existem 2 formas de proteínas Mi-2 as quais são muito semelhantes (quase 70%): Mi-2α (208 kDa) e Mi-2β (218 kDa). Parece ser apenas a Mi-2β o alvo especifico para os auto-anticorpos. A Mi-2 parece desempenhar um papel na regulação da transcrição. A Mi-2β faz parte de um complexo nuclear designado por “deacetilase remodeladora do nucleossoma (NuRD)”.

Os poços do EliA Mi-2 são revestidos com uma proteína Mi-2b recombinante humana, produzida no sistema baculovirus/célula de insecto.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

  • 15-31% dos doentes adultos com dermatomiosite
  • Rara (<1%) em doentes com polimiosite
  • Mais de 90% dos doentes positivos para o anti-Mi-2 têm dermatomiosite.
  • A especificidade dos anti-Mi-2 é muito elevada. No nosso estudo de validação nenhum dos 180 controlos da doença foi positivo.

Em contraste com os doentes positivos para anticorpos anti-sintetase (Jo-1, Pl-7, PL-12), os doentes positivos para anticorpos anti-Mi-2 mostram:

  • Um desenvolvimento da doença relativamente moderado.
  • Raras demonstrações de sinovite, manifestações pulmonares ou fenómeno de Raynaud.
  • Boa resposta aos glucocorticóides.

Os anticorpos Mi-2 são detectáveis numa fase inicial do desenvolvimento da miosite.

Actividade da doença

Não há indícios de que os anticorpos estejam correlacionados com a actividade da doença e possam prever qualquer recaída. Portanto, não é recomendado um teste de seguimento regular após o diagnóstico.

Quando é que a medição é recomendada?

  • Diagnóstico diferencial entre miopatia/miosite
  • Suspeita de miopatias inflamatórias idiopáticas (MII)
  • Diagnóstico diferencial entre poli-dermato- e miosite de corpos de inclusão
  • Acompanhamento de casos positivos com o EliA CTD Screen, se os anticorpos comuns forem negativos

Referências bibliográficas

Conrad K et al (2002)  |  Ghirardello A et al (2005)  |  Targoff IN (2007)  |  Targoff IN (2000)

Voltar ao início

 

Fibrilarina  NOVO!

Produto

Artigo N.º

N.º de testes

EliA Fibrillarin 14-5606-01 2 x 12 testes

 

Material Promocional

Pasta de Desempenho
EliA Fibrillarin (pdf)

Antigénio

Sinónimos para Fibrilarina:

  • Scl-34
  • U3-RNP
  • rRNA 2'-O-metiltransferase

A Fibrilarina, uma proteína com 34 kDa, é o componente principal do complexo nucleolar U3-RNP, o qual está envolvido no processamento do pré-rRNA. A Fibrilarina é também um componente de outros pequenos complexos de ribonucleoproteínas nucleolares (snoRNP) e é também encontrada nos Corpos espiralados (coiled bodies) ou corpos de Cajal.

Os poços do EliA Fibrilarina são revestidos com uma proteína fibrilarina recombinante humana produzida no sistema baculovirus/célula de insecto.

Associação de doenças, prevalência e especificidade de anticorpos

  • 7-14% dos doentes com esclerodermia
  • Até 64% de doentes com esclerose cutânea difusa (SSc)

Ocorre mais frequentemente num subgrupo de doentes com SSc que muitas vezes tem ascendência Africana (>50%), homens, e com patologia visceral e cutânea grave. É o segundo anticorpo ANA mais frequente em Afro-Americanos com SSc (a seguir a Scl-70).

Marcador de prognóstico

Os marcadores para a SSc cutânea difusa são os anticorpos anti-fibrilarina (até 64%), anti-RNA-Pol III (até 85%) e anti-Scl70 (até 71%), enquanto que os doentes com anticorpos anti-fibrilarina têm o pior prognóstico, uma vez que tipicamente estão associados ao envolvimento de múltiplos órgãos, incluindo o envolvimento do intestino delgado, crise renal, fibrose pulmonar/hipertensão pulmonar ou inflamação dos músculos. Os doentes com anticorpos anti-fibrilarina positivos são susceptíveis de desenvolver alveolite, fibrose pulmonar e, mais tarde, hipertensão vascular e pulmonar grave e precisam de ser monitorizados.

Especificidade

  • Especificidade alta para a esclerodermia
  • Ocorrência rara em LED ou fenómeno de Raynaud

Actividade da doença

Não há indícios de que os anticorpos estejam correlacionados com a actividade da doença e possam prever qualquer recaída. Portanto, não é recomendado um teste de seguimento regular após o diagnóstico.

Quando é que a medição é recomendada?

  • Suspeita de esclerodermia
  • Diagnóstico diferencial das doenças caracterizadas pelo fenómeno de Raynaud
  • Avaliação de pessoas de grupos de risco (por ex. pessoas expostas ao silício ou ao mercúrio)
  • Uso em prognóstico: diagnóstico imunológico diferencial para prever o potencial desenvolvimento de esclerodermia
  • Acompanhamento de casos positivos à IIF (imunofluorescência indirecta) com um perfil anti-fibrilarina típico

Referências bibliográficas

Conrad K et al (2002)  |  Pollard KM and Hultman P (2007)  |  Steen VD (2005)  |  Steen VD (2008)  |  Tormey VJ et al. (2001)

Voltar ao início